Biografia Filipe Gonçalves Mélo.

Biografia Filipe Gonçalves Mélo.
Filipe Gonçalves Vieira Mélo.Autodidata. Pintura à óleo abstrata em vários tamanhos até 2mx3m. Desenho com pintura. Desenhos em A 4. Exposição na Mostra Morar mais por Menos RJ e Feira Reacess RJ. Entrevista na GNT. Parque das Ruínas. Santa Teresa RJ.Revista:Entender a mulher. Editora Moi SP.Exposição na morar por Menos Lagoa RJ. Correio da Manhã- Portugal. Coluna. Lídia Soares.Revista Época . Entrevista Cristiane Segatto.

domingo, 22 de agosto de 2010

UM ROBÔ QUE INTERAGE COM O AUTISTA



Keepon é  pequeno robô amarelo  projetado para estudar o desenvolvimento social, interagindo com as crianças. Keepon foi desenvolvido pelo professor Hideki Kozima do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação (NTIC), em Kyoto , no Japão. Keepon tem quatro motores, uma pele de borracha, duas câmeras em seus olhos, e um microfone no seu nariz. Um fofo.
No contexto de Kozima , Keepon tem sido usado para estudar os mecanismos subjacentes à comunicação social. Sua aparência simples e comportamento são destinados a ajudar as crianças, mesmo aqueles com transtornos de desenvolvimento como o autismo , para compreender suas ações e emoções. O robô, geralmente sob o controle de um teleoperador , interage com as crianças em escolas e centros de recuperação para transtornos de desenvolvimento desde 2003.
 Veja o que Kozima criador diz sobre o robô em relação ao autismo:
``Minha motivação na pesquisa sempre foi o desejo de entender a comunicação humana, e o processo de desenvolvimento por trás de linguagem, para que eu possa recriar o modelo de máquinas. Foi com esse fluxo de pesquisa que eu encontrei o autismo. O autismo é uma deficiência na capacidade de comunicação verbal e não verbal. Ao entender o autismo, podemos obter um conhecimento dos processos cognitivos por trás normal de comunicação. Então eu comecei a construir robôs como uma plataforma para adquirir esse conhecimento e demonstrar as minhas conclusões.
Então eu decidi criar um simples robô, para que as crianças sejam capazes de entender intuitivamente as intenções do robô e expressões. Keepon eu projetei em meados de 2002, e com a ajuda de engenheiros da Kokoro, Keepon nasceu em março de 2003.
Em geral, as pessoas pensam que as crianças autistas não interagir com os outros porque eles não têm motivação para fazê-lo. Mas eu tenho uma opinião diferente. Eu acho que as crianças autistas realmente querem interagir com o mundo exterior, mas não pode.
As crianças autistas geralmente terá medo de Keepon no início, mas eles também são muito curiosos. Após vários meses eles vão entender que Keepon não vai prejudicá-los, e depois vai começar a vê-los voluntariamente, tocar e fazer contato visual com ele. Embora o processo é diferente para cada um, quase todas as crianças autistas vêm para desfrutar de suas interações com Keepon. As crianças autistas que têm dificuldade em interagir com outras pessoas pode tornar-se amigo de Keepon.
Embora Keepon é simples, pode fazer contato visual com as pessoas e expressar emoções por subindo e descendo e inclinando a sua cabeça. Eu acho que as crianças autistas são capazes de processar estes movimentos simples, compreender o estado interno Keepon, e interagir com Keepon com mais facilidade. texto extraído do site http://www.getrobo.com/getrobo/2008/11/q-after-people-heard-about-the-news-of-keepon-being-commercialized-some-readers-asked-why-the-robot-had-to-be-so-expens.html
   Keepon tornou-se importante, como uma sensação na internet nos últimos anos desde que foi lançado em 2007 veja o video:





(Ele é ótimo dançarino), mas o potencial para este tipo de tecnologia para ajudar as crianças com autismo é a exploração de maior valor.
Em julho de 2010 surgiu outro robô para interagir com as crianças com dificuldades, foi publicado no Times http://www.nytimes.com/2010/07/05/science/05robot.html?_r=3&pagewanted=1
 Paro, a foca robô que está revolucionando o cuidado também com os idosos. foto(http://latimesblogs.latimes.com/technology/2009/01/senior-technolo.html
Paro é um robô modelado como se fosse uma foca bebé.Foto (http://www.botjunkie.com/2008/04/10/paro-robot-therapy-seal-just-wants-your-love/) Ela vibra as mãos e pés quando acariciada, pisca luzes e abre os olhos com barulhos altos e uivos quando manipuladas ou a Dois microprocessadores sob sua pêlo branco ajustam seu comportamento com base em informações de dezenas de sensores que monitoram o som escondido, temperatura, luz e toque. e reconhece o som de seu nome e, ao longo do tempo, as palavras que ouve com freqüência.A gente fica muito feliz de ver os cientistas tentando com a robótica ajudar os nossos autistas da melhor maneira possível. Keepon e Paro  são uma espécie de terapia , a Paro é como um animal de estimação e Keepon um amiguinho leal.
 Bom domingo a todos.
Ray