Biografia Filipe Gonçalves Mélo.

Biografia Filipe Gonçalves Mélo.
Filipe Gonçalves Vieira Mélo.Autodidata. Pintura à óleo abstrata em vários tamanhos até 2mx3m. Desenho com pintura. Desenhos em A 4. Exposição na Mostra Morar mais por Menos RJ e Feira Reacess RJ. Entrevista na GNT. Parque das Ruínas. Santa Teresa RJ.Revista:Entender a mulher. Editora Moi SP.Exposição na morar por Menos Lagoa RJ. Correio da Manhã- Portugal. Coluna. Lídia Soares.Revista Época . Entrevista Cristiane Segatto.

terça-feira, 2 de junho de 2015

AUTISMO! As vezes as palavras podem sair de uma maneira diferente. O modo de dize-las pode ter outras formas!

Cansei das definições  dos que acham que alguns autistas vivem em seu mundo próprio indevassável . Acredito  que há um impedimento biológico/neurológico/emocional/social que os impede de formular o que sentem. Mas isto não quer dizer que não tenham,sentimentos, consciência do seu problema. Só que não conseguem pedir ajuda. Estou falando de autistas clássicos, muitos não conseguem falar. Apesar de todo este impedimento Bilogico/neurológico/emocional/social ,seu interior talvez esteja preservado. Quem pode dizer que sim e quem pode dizer que não?
Quem é o dono da verdade aí? O conhecedor supremo da mente humana?
Faço uma pergunta, se voce quer falar de algo que não está bem, sua voz não sai , apenas grunidos que fazem as pessoas rir. Não iria se afastando mais e mais das pessoas desiludido de tudo, até se calar de vez?
E se isso começa  lá quando se é bebê? Olha o estrago, cada fase de vida que passa!
É tanta teoria sobre autismo , que nós pais estamos esgotados!!!
O pior e mais irritante é a forma como eles nos manipulam para que acreditemos nas suas teorias. Suas teorias, não levam em conta lado emocional de alguém com dificuldades sensoriais (não ditas por palavras) desde bebê,criança. É por isso que nenhum Governo no Mundo se preocupou o que sente um autista, porque nunca olhou para eles como O SER  emocional.  Mas só querem ver seus sintomas.
Talvez aplaquem sua consciência por não investirem mais na PESQUISA DO AUTISMO.
Acredito que para ajudar os autistas é preciso olhar além dos sintomas e visualizar o emocional desde que os primeiros sintomas se instalem. E fazer uma campanha de orientação aos pais. E pensar na frase -Coloque-se no lugar do autista - Sinta suas dificuldades! Pense no ser humano escondido nesta síndrome!
Se voce pesquisar vai ver que estes profissionais de saúde discordam entre si mesmos! Cada um tem sua teoria e no final não chegam a lugar nenhum. Sabe porquê? Porque a causa real do autismo nenhum deles sabe!
Queremos respeito nossos filhos autistas. Queremos que nos ensine como ajuda-los!
E com eles,encontrar achar a saída do labirinto que é sua vida. Agora mesmo Filipe vê o programa do Jô que entrevista a atriz Fernanda Souza. Filipe escreve para mim: Fernanda Souza Chiquititas.
Fico feliz e compreendo, ele sabe escrever corretamente o nome dela e escreve Chiquititas, série em que ela  fazia este personagem e Filipe assistia quando era criança. Ele ligou os fatos e falou comigo escrevendo.(Filipe é autista não verbal) Duas palavras que me contam tudo, o passado e o presente
Me contou uma  lembranças de sua infância . Foi a partir desta escrita que vim escrever este post de hoje.
Não foi fácil ter tal entendimento sobre meu filho e intuir o que ele tá sentindo. Tipo intuir da maneira mais emotiva, a intuição mãe, que sabe quando o filho quer dizer algo e não consegue.
Em primeiro lugar tenho Fé no Meu Deus Todo Poderoso, no cérebro que ele criou, e como o cérebro é uma máquina maravilhosa!
 Deus me deu força para acreditar no meu filho Filipe, ver o que ele tinha de melhor e não de pior.e conseguir ver o seu sofrimento psíquico,  para tentar ameniza-lo.
Tive Síndrome do Pânico, e eu sei o quanto é triste o sofrimento psíquico ! Tinha medo de sujeira e tinha de jogar água quente, água sanitária na pia, antes de preparar as refeições, mesmo ela estando limpa. Um dia cansei desta limpeza e passei minhas mãos por toda a pia, depois lambi , pra mostrar pra mim mesma que minha limpeza era um ritual que só me aprisionava! Não fiquei paralisada  também busquei ajuda de médicos,terapia, mas o bebê autista, criança , adolescente, adulto não consegue fazer isso. Seus sinais são alergias, choros, agressividade, hiperatividade. Eu encontrei também a Psiquiatra infanto juvenil Maria Cristina do Rêgo Abreu que fez  terapia com Filipe e minha família, nos conscientizando que Filipe precisava ser entendido!
Foi e é um longo caminho até hoje , mas compreensível.
Nossos Governantes não dão estrutura para isso. Não nos colocam pra fazer terapia, para entender nossos filhos. E isso faz com nós fiquemos perdidos, tristes!

O que o Governo tem de informação sobre o autismo não é favorável pra nós. O desconhecimento da sociedade sobre esta síndrome também. A gente fica pensando como eles vão viver nesta sociedade que muitas vezes exclui o diferente o desconhecido .
Se estes pais,tivessem  um Centro de Investigação Cientifica do autismo e com ele profissionais e pesquisadores que o Governo apoiasse ?
E lá receberia não  só um diagnóstico, mas o suporte necessário para eles e seus pais? Isso faria toda a diferença. Nós pais queremos respostas, queremos pesquisa para este mal tão implacável como o autismo!
Pais orientados iam saber como lidar com o filho. O autista ia ter oportunidade de ser compreendido de uma maneira científica e humana!
Receberiam suporte terapêutico. E iam poder desabafar tudo, seja em gestos, arte, música ou esporte .
Meu filho tem autismo clássico , pinta escreve , lê e tem muita ansiedade, medo , insegurança.
Preciso saber lidar com isso.
Se uma criança sofre mas não consegue verbalizar que é o caso do autista o Poder público precisa amparar e ajudar. É cruel e desumano não fazer isso. Não vejo Direitos humanos no Brasil para ajudar estes autistas. Eles não falam, não reclamam, isso os deixa invisíveis. Precisamos entender esta voz, a voz do autista, uma voz índizel, mas falada com o corpo e a emoção, precisamos preparar nos olhos para ver e sentir isso....

Ray Gonçalves Mélo- Mãe de Filipe autista pintor!

PERES 2003:7 ,ESCREVEU:
O QUE DIZER DA DOR QUE NÃO PODE SER DITA?
SEM CAUSA OU NATUREZA DEFINÍVEIS,
SEM POSSIBILIDADE DE COMPREENSÃO?
DOR DO NADA, SIMPLESMENTE DO VAZIO DE EXISTIR, INDISCUTÍVEL, INCOMENSURÁVEL (...)



Foto Pinterest: KAY2 - Street Art











Nenhum comentário:

Postar um comentário