Biografia Filipe Gonçalves Mélo.

Biografia Filipe Gonçalves Mélo.
Filipe Gonçalves Vieira Mélo.Autodidata. Pintura à óleo abstrata em vários tamanhos até 2mx3m. Desenho com pintura. Desenhos em A 4. Exposição na Mostra Morar mais por Menos RJ e Feira Reacess RJ. Entrevista na GNT. Parque das Ruínas. Santa Teresa RJ.Revista:Entender a mulher. Editora Moi SP.Exposição na morar por Menos Lagoa RJ. Correio da Manhã- Portugal. Coluna. Lídia Soares.Revista Época . Entrevista Cristiane Segatto.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Autista pode viajar de avião?


 No dia 14 de maio de 2012 numa segunda feira a sobrinha do meu marido vai casar.  Eu poderia ir no domingo, pois geralmente trabalho no sábado e voltar na quinta-feira para retornar minhas atividades como florista no fim de semana.  O melhor então seria viajar de avião, uma viagem rápida de duas horas e meia .Imaginei a experiência para Filipe de estar lá em cima , vendo o infinito céu azul com suas nuvens branquinhas! Mas será como Filipe ia se comportar? Segundo uma pesquisa 4 entre 10 pessoas tem medo de viajar de avião. E o autista?
Vim na internet comprar as passagens, estava com muita vontade ir, pegar o sol de Maceió e suas praias lindas, enfim viajar, descansar um pouco a cabeça e relaxar com Filipe e minha família nesta cidade maravilhosa de águas quentes e cor de esmeralda.
Antes de comprar as passagens de avião , vim pesquisar na internet  como é viajar com um paciente com necessidades especiais, no meu caso o autismo.
  Fiquei muito desanimada,desapontada ,triste com minha pesquisa :

*Nos vôos nacionais e internacionais não existe um médico à bordo na companhia para atender ocorrências de emergência.

*Não existe  funcionários preparados no vôo,para dar assistência aos autistas , caso se estressem e fiquem ansiosos com o vôo. A  gente sabe que isto pode acontecer, pois eles não gostam de mudar suas rotinas, e muito menos experimentar viajar de avião , uma situação que eles não podem controlar.  Este controle ficaria por conta e risco dos pais, com a  devida medicação do médico do autista.

*Não podem viajar pessoas que tenham convulsão, ao menos que seu médico se responsabilize por ele e sua medicação e garanta que a crise não vá ocorrer durante o vôo.

*Pacientes com transtornos de ansiedade que não estejam em tratamento.
   
As crises de convulsão de Filipe são precipitadas pela ansiedade. Ele não consegue se expressar e dizer que está muito ansioso e com medo. Então o corpo fala na forma da convulsão. Isto aconteceu na viagem que fiz de carro para Maceió. Eu o havia preparado para esta viagem. Conversei muito com ele, sobre as alegrias de conhecer novos lugares, praias novas, rios, coisas que ele ama. A distancia percorrida e a volta. E frisei várias vezes , se ele quisesse voltar, eu voltaria a qualquer hora que ele quisesse. Levei os seus bonecos, que são como uma espécie de calmante, amigos imaginários. Mas mesmo assim, ao chegar na ponte Rio Niterói , Filipe deu uma convulsão no pedágio da ponte. Médicos da Ponte que ficam no acostamento da Cancela, correram para atendê-lo. Medicado, perguntamos pra ele se desejava ir para Maceió. Escreveu que sim. Eu sei que ele queria muito, o problema era o medo que sentia do desconhecido. Iniciamos a viagem de novo , e novamente em Campos, 180 km depois, outra convulsão.
Pensamos em voltar para ele não sofrer mais, mas eu decidi continuar para dar a ele uma oportunidade de viver plenamente a vida.Eu tinha de ajudá-lo. Tinha de correr o risco. Dei um calmante pra ele e ele dormiu até em Vitória, onde paramos para dormir também.
Bem cedinho no dia seguinte, iniciamos a viagem em direção a Maceió. Não aconteceu mais nenhum caso de convulsão felizmente. Eu orava muito ao Meu Deus Verdadeiro todo o instante da viagem que foi linda. Filipe e nós conhecemos muitas praias e lugares bonitos e fomos até a divisa de Pernambuco, nas praias de Maragogi . Toda noite dava um calmante pra ele, que foi retirado aos poucos na volta. Filipe não usa calmantes, não é agressivo.

   Estou triste por meu filho ter tantas limitações. Não poder viajar de avião. Eu e meu marido ficamos também impossibilitados de viver plenamente a vida .Poderíamos ir sem o Filipe.

 Como viajar e deixar ele em casa? Não ia ficar feliz assim.


Para ele ir com segurança o Hospital do Exército que é responsável por ele deveria mandar um médico para acompanha-lo na viagem. Mas eles não vão fazer isso nunca. Não tenho dinheiro para pagar um médico particular para fazer isso.
Enfim por aqui vemos como é limitado a vida de um autista. E como são tratados por aqueles que deveriam lhes dar assistência. Imagino a vida de um autista no interior deste Brasil.
Eu como mãe que fico aqui falando na net, não consiguo nada, imagina estas mães com seus meninos e meninas autistas sem assistência. Mais que falta de assistência é falta de humanidade dos nossos governos para com criaturas tão frágeis e indefesas como os autistas.
 Se alguém viaja com seu filho autista de avião, por favor deixa sua mensagem aqui.
Ficam as perguntas:
Autistas não tem direito de viver plenamente a vida?
Não tem direito de viajar de avião?
Sinceramente, quero descer  quero sair deste vôo de injustiças.
Ray